sexta-feira, 5 de maio de 2017

Testes Gratuitos de Proficiência para Alemão, Francês, Italiano e Espanhol

Ano passado falei sobre o teste de proficiência que a EF está oferecendo de graça, e além de poder entrar no currículo (ou currículo virtual como o do LinkedIn) o teste serve como treinamento para quem está se preparando para um TOEFL, TOEIC, ou algum outro certificado pago (e caro) de proficiência.

Ontem descobri que eles também oferecem testes gratuitos de francês, alemão, italiano e espanhol.


O teste curto é ótimo para ter uma noção do seu nível, o que pode ajudar a não gastar dinheiro atoa nos outros testes pagos.

Fica a dica.

Valeu.

sexta-feira, 24 de março de 2017

Mais Materiais Gratuitos para Aprender Qualquer Fucking Idioma!

As vezes a gente conhece algo a tanto tempo que toma aquela informação como de domínio público, como se fosse óbvio para todo mundo que aquilo existe, ou como fazer alguma coisa. Conversando com uma amigo do curso de alemão ontem me dei conta de que não falei sobre isso aqui ainda: empresas de mídia de vários países do mundo tem sites e materiais gratuitos dedicados a ensinar os idiomas de seus países para quem quiser aprender.

Por exemplo, a BBC, que é do Reino Unido, tem um site e vários materiais gratuitos para quem quer aprender inglês. E não por acaso o endereço inclui "Aprenda Inglês": http://www.bbc.com/portuguese/aprenda_ingles



E, sim, eu gosto muito da BBC, por isso acabo falando muito deles, o mesmo existe para vários outros idiomas, por exemplo a DW (Deutsche Welle) tem um site no mesmo estilo com materiais para quem quer aprender alemão: http://www.dw.com/pt-br/aprender-alem%C3%A3o/s-2199


E a NHK, do Japão, também: https://www.nhk.or.jp/lesson/portuguese/



E eles fazem esses mesmos cursos gratuitos em vários idiomas. O que é uma iniciativa louvável, infelizmente não encontrei nada parecido em português (o que é meio chato, ver o interesse de empresas de outros países em auxiliar quem quer conhecer o idioma, enquanto as nossas não parecem se importar muito).

Não conheço outros sites que tenham material desse tipo em português, mas tenho certeza que existem, só procurar. E, como sempre, se você já fala inglês, encontrar qualquer material que te ensine outro idioma fica muito mais fácil.

Como os cursos da Foreign Service Institute, essa agência america disponibiliza materiais ensinando mais de quarenta idiomas. E não são só eles que disponibilizam materiais assim.

A própria Wikipedia, possui materiais introdutórios em vários idiomas, entre seus milhões de verbetes sobre praticamente tudo que existe. O Youtube também é outro lugar onde dá para encontrar lições de qualquer tema sobre praticamente qualquer língua não-extinta que existe.

E, se você estiver afim de ouvir programas em outros idiomas just because, a rádio SBS da Austrália disponibiliza podcasts nessa quantidade mínima de idiomas aqui:




Além de tudo isso há os podcasts, é possível encontrar até idiomas obscuros ou pouco falados pesquisando pelo iTunes e outros agregadores de podcasts.

Uma referência a qual sempre volto para saber um pouquinho sobre tudo quanto é língua é o Omniglot, dá para perder horas lendo as informações sobre os idiomas, povos e etc.

Se conhecer alguma outra fonte legal de material, por favor deixe nos comentários aqui.
Por hoje é só o/


quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Blogs, Comediantes e Etc.

Então, quanto tempo não?

Acho que eu não escrevo aqui com frequência porque fico mantendo um ideal inalcançável do que esse espaço deveria ser. Só aumentando a fila de posts no rascunho, e raramente pegando algum deles para escrever até o fim.

A vantagem de não ter leitores é saber que não vai decepcionar ninguém. E como o único objetivo aqui é escrever um pouco, então que se dane. Tá escrito.

E toma esse podcast sobre a futilidade.

Mata Bicho, Blogs.


E esse poema. (The Negro Speaks of Rivers de Langston Hughes)


E esse poema. (Dinosauria, We de Charles Bukowski)


E esse poema. (Liberté de Paul Elouard)


E por hoje é só isso mesmo.

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Aprenda X em Y minutos!

Acho que todos que trabalham com TI, e principalmente com programação, já passaram pela situação de ler um guias imensos de introdução a alguma linguagem de programação enquanto repetem na cabeça "eu só quero aprender como fazer um loop/concatenar uma string/fazer um if".

Pois é, o Learn X in Y minutes é uma coleção de introduções que acaba com esse problema. São todos rápidos, curtos e grossos. Assumem que você já sabe o que está procurando e que só precisa de uma explicação rápida de como fazer o básico na linguagem de programação X que precisa usar.

Outra coisa legal é que essas introduções são códigos válidos na linguagem que estão explicando. Por exemplo, essa introdução de Haskell, é um código válido na linguagem, que pode ser baixado e executado.

Aprenda X em Y minutos, Haskell.


Então, se você já conhece duas ou mais linguagens de programação e precisa de uma introdução sem enrolação de C++, CoffeScript, Go, Hack, Javascript, Julia, PHP, Python ou um monte de outras linguagens, recomendo:


O projeto é comunitário (tipo uma Wiki), assim traduções e linguagens novas são adicionadas o tempo inteiro. Não indico para quem está aprendendo a primeira linguagem de programação, mas como revisão ou intro para quem tem um pouquinho mais de experiência é perfeito.

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Brasil 500 Anos de História

Entre os anos 1999 e 2000, junto com as comemorações dos quinhentos anos de "descobrimento" do Brasil, a Rádio Senado publicou uma série de programas sobre a história do país.

A série começa com a formação de Portugal, fala um pouco das monarquias portuguesa e espanhola, das grandes expedições de navegação, da chegada dos colonizadores nas Américas e vai tecendo uma narrativa de lá de 1500 até o início da velha república.

Quando baixei do site da Rádio Senado era necessário fazer o download individual dos 42 episódios. Pouco antes de publicar esse post voltei ao site e não consegui encontrar a página com o programa. O que é uma pena, pois é uma boa revisão de História do Brasil.

Alguém teve colocou a série no Youtube, em três partes.

Acho mais prático ter os arquivos no celular, disponíveis a qualquer momento.

Aqui estão os programas, divididos em quatro partes: https://mega.nz/#F!h9BCzb5L!pK-AfBnoBZFSiAYK-9ruZQ

Ainda falando de História do Brasil, um filme que retrata um Brasil com o qual não temos mais contato é Desmundo. Indicação do meu professor de Estudos Literários I da Licenciatura de Letras.

O filme está disponível no Youtube. Curiosamente legendado, porque os diálogos são todos em português arcaico. O filme tem muitas cenas e situações pesadas, então esteja avisado.



Claro que nada substitui ler um livro sobre o assunto. Ou mais de um, para comparar as versões.

Os dois livros de História no topo da minha fila de leituras são:

História do Brasil, de Boris Fausto. Recomendado por varias fontes como ponto de partida para o tema, e ganhador do 58º Prêmio Jabuti na categoria livro didático.

Panorama Histórico de Linhares, de Maria Lucia Grossi Zunti. Que trata de preservar e resgatar um pouco da História do município onde nasci.

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Hackeie Esse Site!

"Hackeie esse Site"
Essa é a premissa por trás do hackthissite.org (HTS), que disponibiliza um ambiente onde o "aspirante a hacker" pode testar suas habilidades e ser guiado a aprender técnicas e tecnologias usadas para burlar sistemas de controle de conteúdo, bancos de dados e explorar falhas presentes em quase todo tipo de serviço ou produto de tecnologia.

Já tinha uma curiosidade de descobrir como hackers e crackers fazem sua "mágica" mesmo antes de iniciar minha graduação na área de TI. E o interesse só cresceu enquanto fui aprendendo sobre como computadores funcionam. Mas mesmo com inúmeros materiais disponíveis na web (e mais de uma dúzia ebooks no leitor digital que carrego comigo quase todo dia), nenhum material havia capturado minha atenção a ponto de que eu conseguisse ler até o fim.

Para se aprender a hackear, é necessário ter o que hackear. E existem distruibuições que permitem montar um laboratório para ser hackeado. Mas...

Quem tem tempo para "montar um laboratório", né?
Aí entra o HTS, tudo que você precisa fazer é criar uma conta no site e pronto, as missões já estão disponíveis. E separadas por nível de dificuldade. Existe também o um forum onde as pessoas discutem as missões e dão mais algumas dicas sobre como resolver os problemas (sem dar a resposta, é claro, a graça do site é desvendar os quebra cabeças).

Os missões estão divididas em 10 seções, que vão de manipulações básicas de HTML à aplicação de técnicas forenses de investigação digital (passando por missões de engenharia reversa, programação e esteganografia).

O site tem desafios que são apresentados de forma contextualizada, gerando situações que suponho serem semelhantes as que ethical hackers encontram. Por exemplo: uma empresa fabrica roupas com peles de animais e um ativista quer conseguir os emails de todos os compradores para fazer uma campanha contra o abuso de animais. Ou executivo de uma empresa responsável por um desastre ambiental está subornando a mídia para encobrir o acontecido, e um conhecido lhe pede para invadir a caixa de email dele e conseguir provas disso. Ok, algumas missões são um tanto caricatas, mas ajudam a contextualizar os desafios técnicos e mostram como hackers não precisam ser necessariamente os vilões da história.



Ainda estou na metade das missões realistas (segunda sessão das dez disponíveis), e já aprendi um pouco sobre Injeções SQL, vulnerabilidades de Cookies, falhas de diretórios transversais, Server Side Includes em PHP, falhas de permissão de acesso com arquivos .htaccess, falhas de listagem de diretório no Apache, e como usar de comandos básicos shell do linux para "exploitar" (explorar) falhas de implementação nos sites das missões.

O único ponto fraco que encontrei até agora foi o fato de tudo estar em inglês. O que pode ser mais uma "barreira de entrada" para quem almeja esse tipo de conhecimento. Mas nem chega a ser uma surpresa, alguém da área de TI não tem como fungir de ter pelo menos o conhecimento suficiente para ler em inglês. Boa parte da documentação, tutoriais e guias são publicados primeiro em inglês, as vezes só em inglês.

Nota:
Acredito ser importante montar seu próprio laboratório, saber como criar máquinas virtuais, redes virtuais, conhecer os OSs para o aprendizado de técnicas de Segurança da Informação, conhecer as ferramentas usadas pela comunidade. Cada uma dessas coisa é uma curva de aprendizado própria, ao invés de substituir essas coisas o que o Hack This Site faz é tornar mais fácil que alguém adquira os conhecimentos básicos da área sem ter que aprender essas coisa todas antes. O que é um incentivo válido.
Ah, "Profissional Segurança da Informação" é o nome bonito que deram para as pessoas que são pagas para hackear sites, programas, empresas e sistemas com o objetivo de identificar as vulnerabilidades e corrigi-las.

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Podcasts!

Esse post vai ser sobre alguns dos podcasts que ouço.

E para repetir o que disse um sem número de vezes às pessoas com quem trabalhei enquanto dava aula de inglês: para aprender bem um idioma você tem que ter contato com ele. Lendo, ouvindo, falando, escrevendo. É preciso ter o pacote todo.

Esses podcasts não são para inciantes, inclusive são feitos para nativos no idioma. Definitivamente não são recomendados para quem está abaixo do nível B2. (você pode testar seu nível com um teste gratúito EF)

99% Invisible: começou como um programa sobre design e arquitetura que o criador do programa (Roman Mars) fazia em casa, por puro hobby. Tratam de muitos outros temas além desses. Aliás essa é uma característica de todos os podcasts aqui, apesar de possuírem um "tema" principal ligando os assuntos, tratam de qualquer coisa que possa ser transformada em uma história interessante.